8 de março | Dia da Mulher

As mulheres, principalmente as que dependem das florestas para sua vida e seu sustento, enfrentam inúmeras lutas.

As mulheres, principalmente as que dependem das florestas para sua vida e seu sustento, enfrentam inúmeras lutas.

Muitas delas lideram várias frentes de resistência contra as violentas ameaças a seus territórios, comunidades, culturas ancestrais e vidas. Além disso, muitas já denunciaram e continuam a denunciar o caráter patriarcal e racista do sistema capitalista. Muitas também enfrentam as práticas machistas e sexistas exercidas dentro de suas próprias comunidades, famílias e até em seus movimentos de luta. Essas discriminações tendem a tornar invisíveis os seus dignos trabalhos e conhecimentos, violentar seus esforços para se emancipar e se empoderar, e colocar suas lideranças em risco por meio de assédio e violência.

As diferentes formas de violência que muitas mulheres sofrem todos os dias tendem a aumentar drasticamente com a chegada das plantações industriais a seus territórios. Isso se deve não apenas à privação das terras para cultivo, à contaminação de fontes de água e solos pelo uso de agrotóxicos, ao impedimento da livre circulação em seus territórios, entre muitos outros impactos, mas também à impunidade generalizada, ao assédio e ao abuso sexual.

O Dia da Mulher é, em parte, um chamado a nos unirmos às suas lutas contra a violência e a discriminação, a romper o silêncio sobre a opressão grave, o abuso sexual e a expropriação das liberdades e autonomias das mulheres para decidir sobre seus corpos e suas vidas. O WRM se soma a esse chamado, em solidariedade, com profundo respeito pelas inúmeras lutas que mulheres indígenas, camponesas, negras, quilombolas, pescadoras, artesãs e curandeiras devem enfrentar para defender com dignidade seus territórios e suas vidas.

Porque a destruição de florestas e territórios não é apenas capitalista e extrativista; ela também é patriarcal e racista!

Artigos recomendados:

Resistência ao extrativismo de mulheres defensoras de territórios na América Latina

As mulheres na luta antimineração em El Salvador: “Somos esse enxame de abelhas”

Filipinas: defender os defensores, defender seus direitos

Índia: mulheres, Bens Comuns e patriarcado

A mulher e a propriedade em Camarões: entre o direito e a realidade

A mulher e o dendê tradicional: uma luta pela vida

Libéria: mulheres levantando suas vozes em processos de decisão

Reimaginando o bem-estar: aldeias no taluka de Korchi, na Índia, resistem à mineração e abrem espaços para o autogoverno

As mulheres dizem: “Queremos nossas terras de volta!”

Rompendo o silêncio: As plantações industriais de dendezeiros e seringueiras geram assédio, violência sexual e abuso contra as mulheres

Para obter mais informações sobre as lutas das mulheres nas florestas: https://wrm.org.uy/pt/?p=626 

Para obter mais informações sobre mulheres que vivem dentro e ao redor de plantações industriais, acesse: https://wrm.org.uy/pt/?p=654