Árvores geneticamente modificadas

A engenharia genética de árvores pode incluir a manipulação de genes para que sejam hiperativos ou totalmente inativos, ou a inserção de genes de uma espécie em outra. Isso é feito, entre outras razões, para obter variedades com maior produtividade ou para aumentar a resistência ao frio ou à seca. Pouco se sabe sobre as consequências biológicas dessa manipulação. A campanha internacional chamada Parem as árvores transgênicas (Stop GE-Trees) divulga informações e dá apoio a comunidades diretamente afetadas por essa ameaça.

A Suzano esteve presente nas negociações climáticas da ONU de 2021 por um motivo principal: promover as plantações de árvores como uma “solução” para as mudanças climáticas, com o nome de “soluções baseadas na natureza”. A empresa busca lucrar cada vez mais com as chamadas políticas climáticas.

Declaração condena a ideia do uso de árvores transgênicas em propostas equivocadas de mitigação da crise climática.

20 anos após a criação da Campanha para DETER as árvores transgênicas (GE), foram lançados um novo site e um novo vídeo, entre outras ferramentas.

Com este caderno, o WRM procura alertar grupos e ativistas das comunidades sobre uma possível nova onda de expansão das plantações industriais de árvores promovida pelas empresas.

Carta pública de organizações brasileiras ao Congresso Mundial da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO), os dias 29 de setembro a 5 de outubro de 2019 em Curitiba, Brasil.

Árvores transgênicas e plantações de monoculturas de árvores. Conflitos, ameaças e lutas de resistência no Brasil. Uma compilação de artigos do Boletim do WRM e outras publicações. Brasil, Abril de 2019

Uma ameaça alastra-se por nossos territórios. Sob o falso nome de “reflorestamento”, que soa bastante simpático, imensas plantações de árvores exóticas vem sendo implementadas no Brasil por empresas transnacionais. Convidamos a assinar a seguinte carta conosco.