Produção de energia em grande escala

A queima de petróleo, carvão e gás natural está causando o caos climático. Além disso, a extração desses combustíveis fósseis e, cada vez mais, o uso de energia geotérmica e de biomassa, também destroem os meios de subsistência e as florestas. As grandes empresas de energia pedem que os governos reprimam violentamente a resistência das comunidades a essa destruição. Os combustíveis fósseis, em particular, têm deixado um rastro de destruição e opressão violenta, enquanto um pequeno número de empresas embolsa lucros astronômicos.

A declaração pede aos movimentos climáticos, ambientais e de justiça social que rejeitem inequivocamente “Soluções Baseadas na Natureza” e todos os esquemas de compensação, porque eles não são feitos para enfrentar a crise climática. Permanece aberta para assinatura até o final de 2021. 

Este artigo destaca as vozes de Justiça Ambiental! em Moçambique e WoMIN, uma aliança ecofeminista africana.

As empresas de petróleo, carvão mineral e gás destruíram e poluíram grandes áreas de floresta, e continuam devastando com a extração de combustíveis fósseis. Agora, estão colocando a proteção florestal e o plantio de árvores no centro de suas estratégias climáticas

De 2013 a 2021, a crise na Venezuela causou o colapso de uma nação construída em torno do petróleo nos últimos 100 anos. No cenário resultante, surge um extrativismo predatório, prevalece a mineração e se intensificam a violência política e a militarização da sociedade.

Convidamos a organizações de Brasil mas também de outros países a assinar esta carta -até o 21 de setembro- para fortalecer nossa luta e resistência contra os impactos das corporações em nossos territórios.

As comunidades têm um longo histórico de enfrentamento dos desastres impostos por grandes empresas e elites. A “emergência” já fazia parte da vida delas muito antes da pandemia. No entanto, alguns, em busca de lucro, estão abusando da situação para promover a apropriação de terras.

Membros do Comitê Consultivo do WRM foram convidados a contribuir para este Boletim especial com reflexões sobre a situação devastadora do aprofundamento das injustiças que comunidades que dependem das florestas e famílias camponesas estão enfrentando devido à pandemia.