Luta contra as monoculturas de árvores

A busca de lucro pelas empresas impulsiona a apropriação de terras para estabelecer monoculturas industriais de árvores. Onde as plantações industriais se enraízam, as vidas e os territórios das comunidades são violentamente invadidos, suas florestas são destruídas e suas águas, poluídas. Quando as comunidades resistem, as empresas tendem a responder com agressão. Apesar dessa violência extrema, comunidades de todo o mundo resistem, se organizam e unem forças em defesa de seus territórios.

Compartilhamos esta música, composta pelas organizações moçambicanas Justicia Ambiental, Missão Tabita e AJOCME.

Veja o vídeo em que a comunidade se posiciona contrária ao monocultivo de eucalipto e o transporte das toras por dentro da comunidade.

O vídeo denuncia a violência contra as mulheres na África Ocidental e Central, cujas terras foram invadidas por plantações industriais de dendê.

Conversa online realizada em 21 de Setembro de 2020, em comemoração ao Dia Internacional de Luta contra as Monoculturas de Árvores. Organizada pela Rede Latino-Americana contra as Monoculturas de Árvores (Recoma). As plantações não são florestas!

Anne Petermann, coordenadora do programa global "Campaign to Stop Genetically Engineered (GE) Trees", explica que são, riscos, incertezas e contexto das Árvores Transgênicas atualmente.
Vídeo produzido por Amigos da Terra Brasil e CIMI (Conselho Indigenista Missionário).
21 de Setembro. Dia Internacional da Luta Contra os Monocultivos de Árvores.

Por Ajele Sunday, artista nigeriano. Sua comunidade sofre o avanço das plantações de dendezeiros sobre seu território.

Disponível somente em inglês.