Definição de florestas da FAO

A definição adotada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) reduz a floresta a um amontoado de árvores e, consequentemente, considera as plantações de monoculturas como florestas. Na realidade, essas plantações causam desmatamento. Essa definição também ignora as comunidades humanas, outras espécies vivas e a complexa rede de interação entre elas. Por ser amplamente usada por governos, empresas e processos internacionais relacionados a florestas, muitas organizações vêm demandando que a FAO mude sua definição enganosa de “floresta”.

Na véspera de 21 de março, data em que a FAO comemora seu Dia Internacional das Florestas, o WRM está divulgando um documento que examina um processo liderado pela ONU sobre as Causas Subjacentes do Desmatamento, que ocorreu há mais de 20 anos. As causas identificadas em 1999 não apenas continuam com a mesma importância, mas inclusive foram reforçadas.

A violência, os massacres e os deslocamentos forçados no contexto do conflito armado na Colômbia têm contribuído para o avanço das plantações industriais de dendê. No município de Mapiripán, a Poligrow cumpre um papel inegável na apropriação de terras e na intimidação.

Para este ano, o tema escolhido pela ONU é “Florestas e Biodiversidade: Preciosas demais para ser perdidas”. Mas como a ONU pode destacar isso quando suas principais políticas relacionadas a florestas e biodiversidade permitem desmatamento e destruição da biodiversidade em grande escala?

Para este ano, o tema escolhido pela ONU é “Florestas e Biodiversidade: Preciosas demais para ser perdidas”. Mas como a ONU pode destacar isso quando suas principais políticas relacionadas a florestas e biodiversidade permitem desmatamento e destruição da biodiversidade em grande escala?

Este editorial pretende fazer um alerta em relação às agendas empresariais que dominam os processos internacionais relacionados às florestas, e que parecem estar entrando em novas fases. As decisões têm impactos muito concretos para as comunidades florestais.

Este artigo destaca alguns desses conceitos, relacionados a florestas, que costumam ser apresentados como algo positivo, mas, na realidade, sirvam a interesses econômicos que as prejudicam e, portanto, prejudicam as comunidades que dependem das florestas.

A OLAM, com sede em Cingapura, garantiu acesso a 500 mil hectares de terra para estabelecer grandes plantações de dendezeiros no Gabão, um país com 85% de cobertura florestal. Sendo assim, como a empresa pode afirmar que tem compromisso com “desmatamento zero”?

Milhões de hectares na Malásia, principalmente de florestas, têm estado na mira para o desenvolvimento de monoculturas – incluindo a expansão de plantações para produção de madeira.

A FAO escolheu Florestas e Educação como tema para 2019 e destacou a importância de “investir na educação florestal”. Mas o que a FAO entende por “educação florestal”?

A FAO escolheu Florestas e Educação como tema para 2019 e destacou a importância de “investir na educação florestal”. Mas o que a FAO entende por “educação florestal”?