Quênia

Este relatório, compilado pelo Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais (WRM) e pela Timberwatch Coalition (TW), agora também está disponível em suaíli. Ele trata de vários fatores internos e externos que determinam mudanças na extensão da terra com plantações industriais de árvores em onze países do leste e do sul do continente: Malaui, Moçambique, Zâmbia e Zimbábue; Quênia, Tanzânia e Uganda; África do Sul, Suazilândia e Lesoto; e Madagascar. Acesse o relatório em suaíli:
Os índices africanos de eletrificação são assustadores: os mais baixos do mundo, com apenas 1% de acesso em algumas áreas rurais. Os índices médios na África subsaariana variam, de 16% em áreas rurais a cerca de 59% em áreas urbanas. Da população de 1,25 bilhão de habitantes do continente, mais de 600 milhões não têm acesso à energia moderna, o que é motivo de muita preocupação.
De tempos em tempos, o boletim do WRM destaca histórias, lutas e reflexões de uma parte específica do mundo. Esta edição trata das Regiões Sul e Leste da África.
A BHP Billiton é a maior empresa de mineração e petróleo do mundo, operando minas em 13 países. Seus escritórios centrais estão em Melbourne, na Austrália, e no Reino Unido, onde a empresa vende ações na Bolsa de Valores de Londres.
Seria a-histórico e apolítico não situar firmemente as raízes dos conceitos ocidentais sobre conservação da natureza na época colonial. A ecologista política e ecofeminista Dra. Vandana Shiva deixa essa relação muito clara em seu livro “Staying Alive: Women, Ecology and Survival in India’” (Mantendo-se viva: Mulheres, Ecologia e Sobrevivência na Índia), onde afirma que,
REDD: Uma coleção de conflitos, contradições e mentiras apresenta resumos de relatos de 24 projetos ou programas de REDD com algo em comum: todos têm uma série de características estruturais que prejudicam os direitos dos povos da floresta ou não conseguem enfrentar o desmatamento.
Disponível apenas em inglês.  12 March, 2014 FOR IMMEDIATE RELEASE Nairobi - The No REDD in Africa Network (NRAN) and hundreds of international allies strongly condemn the massive evictions and forced relocation of the Sengwer Indigenous Peoples Programme, as well as World Bank-funded REDD, a land-grabbing forest offset scam, in Kenya’s Cherangany Hills.
Disponível apenas em inglês.  Download here the full letter in pdf format with the final list of sign-ons  February 25, 2014
Entre 6.000 e 7.000 membros de povos indígenas e outras comunidades da Floresta de Embobut, nas colinas de Cherangany, distrito de Elgeyo Marakwet, no Quênia, estão ameaçados de expulsão. Há muitos anos, o Governo vem tentando tirar os habitantes indígenas de Embobut de suas terras, queimando as casas. Isso tem sido feito em nome de uma abordagem de conservação de fortalezas, que procura retirar as populações locais de suas terras.