IUFRO Curitiba 2019

Uma ameaça alastra-se por nossos territórios. Sob o falso nome de “reflorestamento”, que soa bastante simpático, imensas plantações de árvores exóticas – e mesmo transgênicas – vem sendo implementadas no Brasil por empresas transnacionais. Verdadeiros “desertos verdes”, levam à extinção de incontáveis espécies da nossa fauna e flora e modificam a fisionomia de nossas incríveis paisagens naturais e culturais, com repercussões sociais e ambientais evidentes, ameaçando os modos de vida tradicionais dos povos e comunidades. Sendo o primeiro país na América Latina a ter o cultivo comercial de uma árvore transgênica liberada (uma espécie de eucalipto) e com o ambiente político propício, o Brasil tornou-se referência para empresas transnacionais executarem seus projetos. Exatamente por isso, será realizado o Congresso Mundial da IUFRO – União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal – em terras brasileiras, entre os dias 29 de setembro e 5 de outubro, na cidade de Curitiba, Paraná. Repudiamos esse evento corporativista, em que se discutirão falsas soluções e novas maneiras de se aumentar o lucro das empresas à custa dos bens comuns. >>> Leia e faça o download da carta completa aqui
Esta Carta Aberta é uma resposta pública da Rede Alerta contra o Deserto Verde do Brasil e o WRM a um email do departamento de investimentos do Banco HSBC nos EUA, solicitando mais informações em relação a empresa de papel e celulose Suzano no Brasil
Video: Resistência contra os monocultivos de árvores. Mensagens do Brasil para Moçambique. Maio 2019.
Carta pública de organizações brasileiras ao Congresso Mundial da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal (IUFRO), os dias 29 de setembro a 5 de outubro de 2019 em Curitiba, Brasil.
Árvores transgênicas e plantações de monoculturas de árvores. Conflitos, ameaças e lutas de resistência no Brasil. Uma compilação de artigos do Boletim do WRM e outras publicações. Brasil, Abril de 2019
Depoimentos de uma reunião sobre os impactos das monoculturas de árvores em larga escala e as ameaças das árvores transgênicas realizadas em Porto Alegre, Brasil, em abril de 2019. O encontro reuniu organizações, redes, comunidades e especialistas dos estados do Brasil afetados por plantações industriais de árvores e ameaçados pelo possível plantio de árvores transgênicas.
Anne Petermann, coordenadora do programa global "Campaign to Stop Genetically Engineered (GE) Trees", explica que são, riscos, incertezas e contexto das Árvores Transgênicas atualmente.
Dercy Telles, líder seringueira, e Lindomar Padilha, do CIMI-Acre, falam sobre monocultivos e a intenção da FAO de considerar isso como floresta ou forma de compensar poluição.
Uma ameaça alastra-se por nossos territórios. Sob o falso nome de “reflorestamento”, que soa bastante simpático, imensas plantações de árvores exóticas – e mesmo transgênicas – vem sendo implementadas no Brasil por empresas transnacionais. Verdadeiros “desertos verdes”, levam à extinção de incontáveis espécies da nossa fauna e flora e modificam a fisionomia de nossas incríveis paisagens naturais e culturais, com repercussões sociais e ambientais evidentes, ameaçando os modos de vida tradicionais dos povos e comunidades.
Uma ameaça alastra-se por nossos territórios. Sob o falso nome de “reflorestamento”, que soa bastante simpático, imensas plantações de árvores exóticas vem sendo implementadas no Brasil por empresas transnacionais. Convidamos a assinar a seguinte carta conosco.
Três testemunhos de resistência do Brasil.