Ásia (geral)

Uma área de 4.400 hectares da floresta tropical de Mulu – diretamente adjacente a um Patrimônio Mundial da UNESCO, o Parque Nacional Mulu – está sendo convertida em monoculturas de dendê. As comunidades indígenas afetadas de Berawan e Penan não foram consultadas e se opõem ao projeto que destruirá suas florestas e seus meios de subsistência.
Uma investigação recente do BuzzFeed News revela que o World Wide Fund (WWF) financia forças paramilitares cruéis para combater a caça ilegal. Os autores escrevem que “em parques nacionais da Ásia e da África, a prestigiada organização sem fins lucrativos, cujo logotipo tem um panda fofinho, financia, equipa e trabalha diretamente com forças paramilitares acusadas de espancar, torturar, abusar sexualmente e assassinar dezenas de pessoas”.
O que está acontecendo com a terra e as riquezas naturais no mundo, e com as pessoas que dependem delas? Como as pessoas estão respondendo a essas tendências, ameaças e desafios? Com o objetivo de abordar essas questões, 12 artigos com análises e narrativas poderosas vindas da América Latina, da Ásia e da África dão testemunho das lutas em andamento – e talvez, permanentes – das pessoas por direitos, terras, territórios e meios de subsistência.
Comunicado de imprensa. 7 de março de 2019 Rompendo o silêncio: As plantações industriais de dendezeiros e seringueiras geram assédio, violência sexual e abuso contra as mulheres
Depois de dois anos de luta contra a retirada de madeira de sua floresta, a aldeia do povo Penan, em Long Tevenga, norte de Sarawak, conquistou uma grande vitória. Os Penan tentaram evitar que a madeireira entrasse na floresta, fazendo uma barricada na estrada que levava ao local de extração e, em agosto passado, construíram uma casa sobre a estrada. A empresa não tinha como passar.
Compilação de artigos do Boletim do Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais (WRM), por ocasião da 14ª reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (CBD), a ser realizada de 17 a 29 de novembro, em Sharm El-Sheikh, Egito.
A Amigos da Terra Internacional e o Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais lançaram uma declaração internacional denunciando a Mesa Redonda de Óleo de Dendê Sustentável.
Camponeses, camponesas e outras pessoas que trabalham em áreas rurais ficaram a um passo de obter uma Declaração da ONU que poderia defender e proteger seus direitos a terra, sementes, biodiversidade, mercados locais e muito mais
Com a adesão de organizações nos cinco continentes, a Amigos da Terra Internacional e o WRM denunciam o fracasso da RSPO em eliminar a violência e a destruição causadas pelas monoculturas de dendê.
Convidamos as organizações a assinar e apoiar a declaração, que denuncia que a RSPO, desde sua criação, há 14 anos, tem servido como ferramenta para atender aos interesses empresariais do setor de dendê.
Neste dia 21 de setembro, uma mensagem de solidariedade e homenagem às comunidades, organizações comunitárias e ativistas que, de muitas maneiras e em lugares diferentes, lutam para deter as plantações de árvores.