Outra informação

Na esteira de um ano repleto de escândalos envolvendo projetos do tipo REDD, este relatório da SOMO divulgado em novembro de 2023 revela como a empresa norteamericana Wildlife Works é responsável por graves violações de direitos humanos no projeto Kasigau, no Quênia.
Integrantes da rede Sim à Vida, Não à Mineração expressaram sua solidariedade com o povo da Palestina e sua luta por autodeterminação por meio de uma declaração que conecta o colonialismo, a mineração, a militarização e a guerra, sendo fundamental a unidade entre todas e todos aqueles que sofrem suas consequências e buscam derrotá-lo. A Declaração está ainda aberta para assinaturas.
A lista de materiais disponibilizados pela Amigos da Terra Internacional em novembro de 2023 é uma ferramenta muito útil a organizações e militantes engajados que se opõem às falsas soluções climáticas.
O material apresenta um amplo panorama sobre o tema, com dados sobre uso e impactos na agricultura, saúde, economia, entre outros.
A Rede publicou uma carta aberta na qual denuncia os impactos das plantações e os crimes cometidos pelas empresas. Ao mesmo tempo, exigem reparação e reafirmam a resistência contra as monoculturas de árvores, verdadeiros desertos verdes.
Uma das fábricas de celulose da empresa finlandesa UPM derramou um milhão de litros de soda cáustica no arroio Sauce, afluente do rio Negro, no Uruguai.
O vídeo “Uganda: Resistir às Plantações Industriais de Dendê” destaca a resistência das comunidades nas ilhas de Buvuma, em Uganda.
O grupo Alamindo Lestari Sejahtera (ALS), que controla pelo menos três empresas madeireiras em Papua, está expandindo o negócio de exploração de produtos florestais madeireiros na área tradicional da tribo Moi, através de uma empresa chamada PT Hutan Hijau Papua Barat (HHPB).
Em Jujuy, no noroeste da Argentina, comunidades indígenas e trabalhadores de diversos setores lutam contra a reforma constitucional da província, aprovada em junho de 2023. A reforma permite a extração de lítio em territórios indígenas e criminaliza protestos sociais, entre outras violações de direitos.
DW news portal investigated ongoing socio-environmental conflicts in Brazil related to Suzano, which manages over a million hectares of eucalyptus plantations across the country and plans to almost double that in the next decade.
An article from ProPublica exposes how the World Bank Group is backing up biodiversity offset projects via its arm that works with private companies, the International Finance Corporation, which has funded at least 19 with biodiversity offsets.
A Justiça brasileira cancelou os registros de duas propriedades da maior produtora de óleo de dendê sustentável das Américas, a Agropalma, no estado do Pará, epicentro da monocultura de dendê no Brasil, por serem terras usurpadas.