Extração industrial de madeira

A extração industrial de madeira abre as florestas à extração das árvores de maior valor econômico, deixando um rastro de estradas e destruição. Violência, corrupção e ilegalidade são frequentemente associadas à indústria madeireira. “Planos de manejo sustentável”, esquemas de extração e certificação de “baixo impacto” ou “seletivos”, e esquemas de certificação apenas disfarçam e perpetuam essa destruição.

O que uma historiografia chama de expansão civilizatória ou do capital, na verdade tem sido invasão e desterritorialização de povos e comunidades com muita violência epistêmica e territorial. As concessões vêm sendo feitas em áreas que não são vazios demográficos, conceito colonial que ignora que essas áreas são ocupadas há milênios.