Megabarragens e outras infraestruturas

As operações industriais exigem uma vasta rede de infraestruturas: estradas, portos, hidrovias, ferrovias, etc., que cortam os territórios das florestas e das comunidades para transportar mercadorias e minerais para os centros industriais. As mega-hidrelétricas, embora se considere que forneçam “energia limpa”, inundam florestas e geram energia principalmente para indústrias poluentes e grandes centros urbanos.

É impossível pensar em extração sem pensar em uma vasta rede de infraestrutura complementar e, portanto, em desmatamento e destruição ainda mais amplos.

Após o cancelamento da megabarragem de Baram, em 2016, os moradores de Long Liam, entre os milhares que se opunham à construção de uma megabarragem, se uniram para instalar a fonte de energia tão necessária em sua comunidade. Algo que a megabarragem não teria proporcionado.

Milhões de hectares na Malásia, principalmente de florestas, têm estado na mira para o desenvolvimento de monoculturas – incluindo a expansão de plantações para produção de madeira.